quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Eu não sei explicar ao certo os sentimentos que este drama me proporcionou sentir. Nunca pensei que diria isso, mas Answer me 1994 supera o tão aclamado Answer me 1997. E isso acontece em vários, mas em vários aspectos mesmo. Senti-me receosa ao iniciar, pensei que me decepcionaria com uma "nova versão". Mas que engano. E que bom que foi um engano. Fazia tempo que eu não surtava tanto, que eu não torcia tanto, que eu não amava tanto um drama com tanta intensidade. A minha vontade, sinceramente, era não me despedir nunca deste drama. Quando cheguei nos quatro últimos episódios, eu já estava sofrendo antecipadamente de abstinência. Mas o problema é que você não quer parar, você NECESSITA assistir mais e mais episódios, e mais e mais... Eu adorei a produção, roteiro...e principalmente o ELENCO! Elenco escolhido à dedo para interpretar personagens que irão marcar a sua "carreira" doramática para sempre. De antemão já os digo, vocês irão carregar essa turminha no coração de vocês com a mais absoluta certeza.
Eu simplesmente adoro o que estes dramas intitulados "Answer me" nos propõem. Ambos trazem aquele sentimento nostálgico, claro que naquelas pessoas que viveram situações semelhantes ou vieram pura e simplesmente nos tão amados anos 90. Aquele sentimento de saudade, de recordar com felicidade. Adoro essa proposta de "relembrar", de "clamar" por aquele tempo que se foi e não volta mais. Em 1994 eu tinha apenas dois anos, então eu obviamente não me lembro dos acontecimentos que se sucederam neste ano. Mas, quando a gente estuda um pouco de história, somos capazes de nos situar melhor e conhecer o que aconteceu naquele tempo. O episódio "00" do drama, nos traz basicamente as informações de que nós precisamos saber sobre o ano de 1994 e bom, comparado ao Reply 1997 este retratou com mais fidedignidade não somente os acontecimentos que marcaram época na Coréia do Sul, como também os acontecimentos e canções (não tão somente coreanas, mas internacionais) que explodiram pelo mundo todo.
O que posso dizer a mais? Eu sou uma estudante universitária e bom, desde que o mundo é mundo, os estudantes universitários agem da mesma forma. Então, a cada reunião, a cada amizade que nascia, a cada circunstância que eles compartilhavam juntos. Nossa! Eu já estou começando a sentir saudades da faculdade e de tudo que estou vivenciando com meus amigos. Achei muito, mas muito bacana como um sentimento de amizade mútua nasceu nesses anteriormente completos "estranhos". A pensão conseguiu unir pessoas completamente diferentes, de sotaques diferentes, de dialetos diferentes, de personalidades diferentes, de ambições diferentes...Além de tudo isso, a gente percebe o preconceito sendo retratado, o quão "fora do ninho" os nossos personagens se sentem no começo, o quão "grande é a vida na cidade grande" e o quão difícil ela também se torna. Porém, ao lado das pessoas que amamos, tudo se torna mais brando e facilmente superável. 
Eu poderia listar vários motivos pelos quais Answer me 1994 é melhor que o 1997, mas esta não é a minha proposta neste post. A minha proposta é exaltar o que há para ser exaltado neste drama. Neste drama que me contagiou do primeiro ao último episódio. Drama que representou de uma forma magicamente simples o cotidiano destes estudantes, o nascimento do primeiro amor, seus medos, suas mudanças, seus crescimentos. Nós temos ainda uma grande surpresa ao ter a participação especial do elenco de Reply 1997. Muito digno os episódios com a participação desta galerinha louca. 

Sinopse: Através dos personagens, o drama segue vários eventos culturais em 1994, incluindo o surgimento do grupo de kpop "Seo Taiji and Boys" e a Korean Basketball League.


Sung Na-Jung: Intensa e forte, Na-Jung foi uma personagem incrível, retratada por uma atriz que sabia exatamente o que estava fazendo. Na-Jung viveu intensamente os seus 20 anos. Ela foi uma fã extremamente barulhenta e louca. Mas com um tempo, o seu comportamento se torna mais brando em relação ao "ser fã"! Eu não lembro onde li alguns comentários falando a respeito das mudanças da personagem, que não havia gostado disso. Eu acho que se a gente for para pra pensar é melhor ser "uma metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo."
E nós somos constantes metamorfoses, uma hora nós temos que mudar. Ela teve a oportunidade de vivenciar várias coisas durante os seus 20 anos, ela amadureceu, formulou outras prioridades. Ela se tornou mulher mais rapidamente do que o esperado. E eu acho que era essa a proposta. Não querer mudar a personalidade de ninguém. ela foi ela mesma o tempo todo... ela foi verdadeira. Verdadeira nos seus sentimentos, verdadeira em seu modo de ser. Na-Jung foi brilhante! E, em nenhum momento, ela enganou a si mesma ou aos outros. Digníssima personagem.

Trash Oppa: Este foi o meu personagem favorito. O Trash oppa foi FABULOSO! Extremamente cativante, inteligente, largadão, mas inteligente. Ele tinha um jeitinho todo fofo de se portar diante dos outros, sendo ele o mais velho. Claro, que como o jovem de 20 e poucos anos que ele era, ele cometia deslizes, mas o seu intuito era de sempre estar cobrando uma postura correta das crianças. Então, toda turminha era responsabilidade dele. E a forma como ele os tratava era realmente como um irmão mais velho trata os mais novos.
Ele não era lá um grande exemplo na parte de organização, mas...homens! Sendo assim, não interessava o quando "não bonito" ele fosse, meu impulso era de querer casar com ele. Com o passar dos episódios você percebe a sua postura de homem íntegro, respeitador, que busca cumprir as promessas que fez e seus princípios também. Fora isso, esse ator, Jung Woo, conseguiu cumprir a proposta do personagem na íntegra. O que dizer? Bom, eu não imagino outra pessoa fazendo este personagem. O que ele incorporou, a verdade que ele passou...bom, apaixonei-me a este ponto. Somado a isso, ele tinha uns "pitis" muito bacanas e engraçados. 70% das vezes que eu ri durante todo o drama foi por causa dele. Um amigo me contou que este drama era para ter sido lançado primeiro que o Reply 1997, mas na época..ele não podia estar fazendo o personagem..coisa de agenda! Lançaram o Reply 1997 primeiro e depois o 1994...POR QUE? Porque tinha porque tinha que ser ele.. COMPLETAMENTE ENTENDÍVEL!. Tal atitude não poderia ter sido mais coerente. Trash oppa, você é definitivamente...D-E-M-A-I-S. 
Chilbongi: Se você quer casar, esse é o tipo certo! Este personagem é super bacana,de fato, muito interessante. É chato ter que escolher alguém para torcer, porque todos os candidatos são totalmente apaixonantes. Este oppa era doce, amável, apaixonado, um amor. É importante ressaltar o seu respeito também. As suas expressões foram "fofas" e amáveis o tempo todo por assim dizer. E aquela carinha de cachorrinho?! *o* Difícil não taxá-lo de bom menino, porque ele era de fato um dos poucos "bons meninos" que existem no mundo. Vontade de apertá-lo contra o peito era o que não faltava.
Ele era um menino simples, apesar de super famoso. Bom, imaginem como a Na-Jung ficou numa sinuca! Ela tinha a sua disposição dois partidões super, mas super TUDO a sua disposição. Como eu já disse, difícil escolher alguém pra torcer. Cada um apela com aquilo que tem. E o rapaz bem que sabia jogar limpo! Não achei que ele foi aquele típico bad boy que sempre "enche o saco". Desculpem, mas estou saturada de bad boys, quero um bom moço como o Chilbongi. Este foi um grande diferencial no drama inteiro. Difícil mesmo era pender a balança para um lado, sério!
Sung Na-Jung e Sseureki (Trash): OPPA YAAAAAAAAAAA *O* Meu intuito é não dar qualquer tipo de spoiler. Então eu vou tentar usar o emprego correto dos verbos para deixar um ar de suspense. Algo totalmente proposital. Para começar, qualquer um que ficasse com a Na-Jung estaria de fato bom; o final não me decpcionaria nunca como um todo. Os dois rapazes eram fantásticos em seu jeito de ser. Era mais uma questão de sentimento mesmo. Bom, o coração não escolhe de quem gostar, mas o coração de Na-Jung escolheria bem se escolhesse qualquer um desses dois. E o coração pode mudar..pode ou não ser o primeiro amor não é verdade? Isso é fato. E Nossa, o mistério permanece até o penúltimo episódio.
Foi tudo muito nebuloso... Answer me 1994 conseguiu ser um mistério até o fim. Bom, falando do casal que shippei: SERIA incrivelmente legal se a Na-Jung escolhesse o Trash Oppa desde o princípio. Para mim, essa SERIA a lógica da coisa. Ele ERA seu grande amor afinal. Isto era fato. E bom, meu coração escolheu se apaixonar pelo Trash Oppa. Não importa o que digam por aí, ele é meu tipo ideal. Como eu FICARIA feliz se a Na-Jung o escolhesse. Para mim, eles tinham uma química e um jeito todo especial de se relacionar. Eu vou sentir muita falta das cenas desses dois juntos. Para mim, eles foram os mais engraçados, o "mais casal".
Meu coração batia muito, mas muito forte com cada olhar desses dois, cada demonstração de afeto e carinho, com cada "espancamento mútuo", uma coisa linda de se ver por vezes. Então, desde o começo, eu torci para este casal. E vocês...para quem vocês estão torcendo? será que o casal que eu torci era de fato o casal certo? Vocês precisarão assistir para ter certeza. 
Sung Na-Jung e Chilbongi: Otoke? Como não shippar este casal! Não julgo a escolha de vocês, porque enfim...eu também me apaixonei pelo Chilbongi. Otoke? Meu coração é que nem coração de mãe...sempre cabe mais um. Então, como não amá-lo. Bom, só não torci por ele, porque realmente eu já tinha uma torcida muito forte pelo Trash Oppa, reforçada pela torcida da minha mãe. Mas, se este oppa FICASSE com a Na-Jun, como eu já falei anteriormente, eu não acharia ruim. Poxa, o cara era um Deus do Monte Olimpo, tirando toda a promiscuidade dos antigos deuses, é claro. Bom, eu já exaltei todas as virtudes desse carinha.
O que dizer? A escolha estaria completamente nas mãos da Na-Jung. Eu vou me abster de falar se gostei ou não do final. Porque eu se eu disser que amei vocês vão saber com quem ela fica, se eu disser que foi legal e fofinho vocês também saberão. Se estiverem curiosos me contatem no facebook. 
Chilbongi tinha sentimentos puros, era tão lindo como simplesmente estar ao aldo da Na-Jung era o suficiente para ele. Claro, chega um momento que somente isto não basta. É hora de atacar, honestamente, mas atacar..com todas as armas que você tem.
Sung Dong-Il e Lee Il-Hwa:O que falar desses dois? Eles só podem ter conquistado os corações de meio mundo de pessoas para serem os seus serviços solicitados mais uma vez neste drama. Para mim, foi muito mais linda e importante a presença destes dois neste drama. O velho tem a minha simpatia eterna. Nunca vi um personagem tão espinhoso e ao mesmo tempo tão amável, buscando esconder suas verdadeiras razões e brutalidade num capuz de "brutalidade". A velha, mãe de nós todos, sim, também me sinto um pouco de baixo de suas asas, porque eu me imaginei como qualquer pessoa daquela pensão, como cada "filho" dela sobre os seus cuidados. <3' Carismáticos e conquistadores de corações, esses dois são mil, não dois mil. *o*
Samchunpo e Jo Yoon-Jin: Eu tenho um sentimento de amor e ódio em relação a estes dois. Yoon Jin era legal de boca fechada e bêbada. Como eu não simpatizo pessoas arrogantes demais, eu diria que sua arrogância me incomodou. Incomodou-me principalmente em briguinhas que eu poderia denominar como "nada a ver". Mas casai tem briguinhas nada a ver não é verdade? Este drama é um mero retrato da realidade, mas não vou negar o meu incômodo emr elação a isso. Ela era muito mandona e chata. Samchunpo era outro chato...dois chatos se merecem, ah, mas estes se merecem mesmo.
Para mim, o drama seria perfeito se não fossem esses dois. Sim, eles me incomodaram bastante. É, mas havia momentos que os dois eram suportáveis, aturáveis. Mas havia outros momentos...que eu perdia a paciência. Claro que não podia faltar a minha implicância básica com determinados personagens. Isto não pode faltar em um post feito pela minha pessoa. Mas claro, eles tinha sua função. 
Samchunpo  era a caracterização daquilo que seria um estranho no ninho. Totalmente perdido, procurando se adaptar, sem conseguir, à cidade grande. E a Yoon-Jin representa aquela menina tímida e desconcertada que muda completamente ao primeiro gole de soju. É interessante também como ela "cresce" como pessoa, como ela vai perdendo a timidez ao se sentir acolhida por pessoas tão maravilhosas.
Haetae: Quase torci para a Na-Jung ficar com ele. Eu gostava de como a amizade desses dois era retratada. De como este personagem era um queridinho super engraçado. Teria sido mais engraçado se ele tivesse ficado com a Yoon-Jin, mas nem tudo que reluz é ouro, porém, ele teve um final super digno. Este personagem me cativou desde sempre. Ele sempre estava ali disponível para todo mundo que precisasse dele. Como qaulquer outro, ele tinha seus conflitos pessoais, existenciais e uma sorte no azar e azar no amor "imperial". 
Ele me proporcionou boas risadas e a minha simpatia por ele foi intensa. Adorava suas peripécias... de fato, acho que sinto este tipo de coisa pelo Haitae ser o exemplo vivo de que a amizade entre homens e mulheres é possível e sim, temos amigos como o Haetae que são "pau para toda obra". Que estão presentes na nossa vida com tanta intensidade.
Binggeure: Personagem que mais me deixou em dúvida no que diz respeito às suas preferências. Foi tão engraçado o mistério ao redor dele. Ela era um carinha super meigo e sensível, que de repente se tranformou numa das grandes icógnitas na minha cabeça.Ele representa super bem aquela nossa faze de nãos aber o queremos fazer na vida. será que é música? Será que é Medicina? Este personagem retrata muito bem os nossos medos em relação a  vida acadêmica. Definitivamente muito bom em sua proposta. 
Para finalizar, gostaria de dizer que este drama foi incrível. Incrível em toda a sua proposta. Incrível na apresentação de seus personagens. Incrível em nos trazer uma OST que marcou a geração X. Vou sentir falta desse grupo, de cada sentimento nostálgico que eles me proporcionaram, de cada sentimento atual de estar vivendo isso hoje. Fazemos parte de uma nova era..uma era das grandes tecnologias e tudo mais, mas ainda assim..."somos os mesmos e vivemos como os nossos pais."
Espero que vocês que estão visitando o blog e leram o post até o fim comentem e falem um pouco da opinião de vocês a respeito do drama e do post. É super fácil de comentar, vocês podem selecionar o perfil anônimosem nenhum problema. Ah, curtam também a nossa página no facebook (CLIQUE AQUI). Esse é o meu primeiro post do ano e espero do fundo do meu coração que gostem! :)) O download pode ser feito no Doramas Obsession Fansub.

Recebi uma reclamação do blogger dizendo que a minha postagem tinha sido denunciada por alguém. Gente, peço que respeitem o meu trabalho. Não copiaria esta postagem e ela também não tem o objetivo de ofender ninguém. Agradecida. 
Posted by Cecília On 00:52 12 comments READ FULL POST

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Sensacional. Digníssimo. Esses são alguns adjetivos que podem descrever bem o que representa este drama. Por incrível que possa parecer, é um drama que não me empolgou muito nos dois primeiros episódios. Ainda bem que eu não desisti, pois ao contrário, teria me arrependido amargamente. Vamos aos comentários? 

Sinopse: A heroína Kang Yoo Jung (Hwang Jung Eum),uma mulher otimista que está prestes a se casar com o amor de sua vida, um jovem iniciante promotor (Ahn Do Hoon) que em um dia fatídico, ele  (Ahn Do Hoon) envolve em um acidente que leva à morte de uma mulher, e Kang Yoo Jung, acreditando ingenuamente que o amor vence tudo, diz que ela foi quem cometeu o crime. Em outro lado , Jo Min Hyuk ( Ji Sung) um jovem rico que não acreditar em coisas como o amor, até que ele conhece a única mulher que muda e abre seu coração. Ele nem sequer perceber o quanto ele a ama, até que ela morre tragicamente.As histórias se encontram  e Jo Min Hyuk  acredita que Kang Yoo Jung matou a mulher que amava.A verdadeira complicação, surge quando o herói começa a cair pela mulher que ele jurou derrubar em vingança. Por que? há uma linha fina entre o amor e o ódio?
Secret sugou todas as minhas energias. Estou até agora inebriada com os sentimentos que este drama me causou. Em dramas nos quais as histórias se desenvolvem em torno da vingança, é nítido um clima de tensão, apreensão. Tudo fica na iminência de dar errado para as partes que nos interessam quase que até o fim. E às vezes, quer dizer, na maioria das vezes, não temos um final digamos "satisfatório" em dramas de vingança.  E como ter, não é? Quando a vingança nunca é o melhor caminho. Logo, os finais não podem ser de todos felizes. Porém, Secret traz um diferencial... Diante de situações difíceis, quase que impossível de assimilá-las, nos vemos machucados, guardando sentimentos negativos. E a fim de descarregar essa energia negativa, as pessoas buscam na vingança uma forma de aliviar tais sentimentos. Ao contrário do que muitos imaginam, impossível se sentir aliviado dessa forma. Tudo isso só nos leva a mais e mais tragédias...vinganças por cima de vinganças e às vezes ela atravessa gerações, havendo por fim a perpetuação do ódio. Paremos com as minhas reflexões e voltemos à Secret! este drama foi muito envolvente, você entendia o drama de cada um dos personagens, envolvendo-se e compreendendo a perspectiva de cada um. Não tive a coragem ou audácia de julgar os atos de ninguém. Simplesmente tive raiva da atitude de determinados personagens. Claro, sempre teremos raiva das atitudes dos personagens. Então, vamos seguir falando sobre alguns deles. 

Kang Yoo-Jung: Ela é o cara! A grande personagem do drama representada por uma digníssima atriz. Fantástica! Ela foi fabulosa em sua interpretação, em sua entrega para o desenvolvimento desta personagem. Filha dedicada, namorada apaixonada. Ela acreditava acima de tudo na bondade de seu amor. E acreditando que ele nunca seria corrompido, ela assumiu a culpa por um crime que jamais houvera cometido. E acreditando até o fim que ele a ajudaria, ela o amou. Amou demais. Impossível julgá-la. O seu filho foi o que a manteve viva dentro da prisão. Ele deu forças para que ele sobrevivesse. O que fazer quando aquilo que ela mais amava é arrancado de seus braços? O que fazer quando as mentiras daquele que você mais amou são expostas? Você percebia o holocausto em que a personagem vivia. Ela poderia desmoronar a qualquer momento. O eterno conflito com a dor da perda. Com a dor da "traição".O que fazer quando aquele que você mais amou lhe apunhá-la pelas costas ou quando ele é incapaz de apresentar gratidão e reconhecer todo o seu sacrifício? Nossa, eu sofri demais com o drama desta personagem. E, como se não bastasse, ela ainda deveria sofrer uma vingança que "não lhe pertencia". A cruz que essa mãe, que essa mulher, que essa filha teve de carregar foi pesadíssima. 
Nunca pensei que a Lee Ja-Young fosse ser a representatividade daquilo que podemos chamar de "amiga". Foi uma personagem que surpreendeu. Mas, é aquela velha história, gratidão gera gratidão... há aquela pessoa que anteriormente você julgava mais próxima, se revelando como personagem principal de sua queda a fim de ver cumprido a realização de seus próprios interesses. E há aquela pessoa que vem e surpreende todo mundo com a sua doce amizade. Estou falando especificamente da Lee Ja-Young, mas vale ressaltar que Yoo Jung não teria conseguido sobreviver também sem suas outras amigas de verdade. Elas foram amigas que buscaram reerguê-la e reconfortá-la. Todo esse apoio foi fundamental.

Jo Min-Hyuk: Apesar de entender completamente suas razões, Min-Hyuk talvez tenha sido o personagem "vingador" mais atípico que eu já conheci. Atípico no sentido de dependente, no sentido de estar apresentando sempre suas cartas. Eu sinceramente não entendia a forma como ele pretendia seguir com todo o seu ódio e sede de vingança de uma forma tão fútil, banal e impensada. Acontece que pra mim, ele foi o vingador, com base em todos os dramas que eu já vi, que menos se planejou, que mostrava todas as cartas que tinha, que não possuía nenhum poder sem ser por influência do pai. Ele buscou a vingança de uma forma amadora digamos assim. Talvez isso tenha sido proposital. Afinal, nem todo mundo que quer se vingar se vinga da maneira mais astuta possível. E a proposta do drama é a "transformação deste sentimento". Outra coisa que me incomodava era foto de ele não trabalhar. Ele era um Starlker muito filho da #$@% que estava em todo lugar a qualquer hora. Típico filhinho de papai que não trabalha e se sustenta pura e simplesmente com o dinheiro do mesmo. Incômodos à parte, devo dizer que muitas de suas atitudes me surpreenderam. Apesar de ser um cabeça esquentada que só dava problema, ele soube reconhecer o que havia para ser reconhecido. Ele tinha em mente qual era a única pessoa que ele deveria se ajoelhar e pedir desculpas. Ele tinha em mente também que deveria pagar seus pecados. Meus sentimentos em relação a ele foram um tanto contraditórios. Quando eu queria ter raiva dele, ele me pegava de surpresa ao ser um playboy apaixonado que, do jeito dele, mostrava seus sentimentos em constante metamorfose.Coitado, ele sentia um tanto quanto "muito" culpado e tudo que ela ansiava era descarregar todos os maus sentimentos.
Ainda bem que Min-Hyuk tinha ao seu lado o fofíssimo Choi Kwang Soo. Ele era aquele personagem tipicamente andróide. Estava ali apenas para receber ordens e cumprir cada uma delas bem direitinho, mas ainda conseguiu cativar-nos com toda a sua fofura. Eu fiquei encantadíssima com o final do personagem. Encantadíssima também, como ele conseguiu fazer parte da "família". Foi se chegando, chegando..e chegando. <3'
E quando o ódio dá espaço ao amor? Sentimentos tão antagônicos que sempre caminham juntos.  Puxando um pouco pra minha área, os cientistas afirmam que amor e ódio nascem no mesmo lugar, o que explicaria porque eles estão sempre intimamente relacionados. É como se eles fossem o verso e o reverso da mesma moeda. E o que dizer do amor que nasceu entre esses dois? O que poderia ser classicamente definido como uma uma tragédia (como se segue a referência feita na história em relação ao livro Morro dos Ventos Uivantes ~ uma senhora tragédia, por sinal, marcada pela vingança e a perpetuação do ódio) se torna na mais clássica manifestação do amor.
Esses dois escolheram amar. Escolheram dar espaço em seus corações ao amor e não ao ódio. Yoo Jung não procurou a vingança, ela simplesmente procurou a justiça. Ela não utilizou de meios perversos para conseguir "dormir em paz". Ela foi totalmente legal em sua revelação. E ela simplesmente não fraquejou. Quando eu achava que ela ia dar um passo para traz e "ressuscitar" o seu de antes (seu eu bobo e ingênuo) ela me surpreendia quando colocava os dois pés em direção ao futuro. Estes foram os grandes diferencias de Secret. Gostei do desenvolvimento e do rumo que a trama seguiu, surpreendendo-nos quase que totalmente em seu desfecho.



An Do-Hoon: O oppa Soo Bin é especialista em interpretar papéis difíceis. As suas mudanças de expressão dele me deixavam num transe e num dilema de: decifra-me ou te devoro! Esse cara tem o dom de mudar suas expressões drasticamente e nos envolver em sentimentos totalmente antagônicos. Eu sabia desde o princípio que ele ia me causar esse tipo de sensação, porque ele sempre faz isso. E, mais uma vez, não foi diferente. Ele veio com tudo nesse novo personagem. Um lobo vestido em pele de cordeiro. Aparentemente honesto, porém, ele foi facilmente corrompido pelo lado sombrio da força.
Ele traiu a mulher que ele amava e esqueceu, ou simplesmente deixou de lado, todos os princípios que um dia fizeram com que Yoo-Jung se apaixonasse por ele. Este personagem me deixava aflita, num clima de tensão eterna. Eu tinha meda do que se externava nos olhos dele, porque ele sempre é ( e foi para mim) uma incógnita. Atuação mais uma vez esplêndida, bravo, bravíssimo.
Aproveitando para falar ainda dos personagens relacionados ao Do-Hoon, temos os seus pais. Toda ruindade ele puxou da bruxa velha sua mãe. Egoísta em todos os sentidos da palavra egoísta, ela machucou Yoo-Jung da pior forma possível. Covarde e baixa. Yoo Jung nunca se rebaixaria ao seu nível.
Mas nem tudo são trevas, e Do Hoon possuía ao menos um pai digno e honrado, que mal reconhecia o próprio filho. Sua maior decepção foi vê-lo declinando em direção ao mal, em direção às grandes corporações...esquecendo totalmente o motivo pelo qual ele havia desejado ser promotor.
Shin Se-Yeon: Eu tinha um dó da Se Yeon muito grande. Claro, ela foi nojentinha. Mulheres que nunca conseguem obter o coração do homem que sempre amaram apresentam uma razão lamentável para ter ódio. E por que não tentar amarrá-lo com suas armas? Por que não tentar obtê-lo mesmo que injustamente? Ela vinha aguentando sucessivos machucados em seu coração. machucados incapazes de cicatrizar, tendo em vista que um golpe sempre vinha seguidamente de outro. Como confortar o coração dilacerado desta mulher? Min Hyuk pecou em não saber valorizá-la ao menos como mulher e amiga, procurando-a apenas tendo em vista seus próprios benefícios. Se ele tivesse reconhecido seu real valor, poderia tê-la como aliada e não como inimiga. Mas homens são um pouco cabeças de vento...nunca entenderiam o que uma mulher sofre por amor. Apesar de ajudar o oppa Soo Bin em mais um personagem extra-nojento, ela foi divina como parceira do "mal".
Eu não gosto de me estender muito, para que não corra o risco de vocês ficarem cansados com meus devaneios. Devo dizer que Secret foi um ótimo dorama. Para mim, uma pontinha apenas ficou solta, mas é totalmente dentro da normalidade dos coreanos e do que eles deixam ficar solto. Gostaria de falar de outros personagens, mas não interessa tanto dentro da grandiosidade destes que foram apresentados no post! Vale ressaltar mais uma coisa: o que foi essa OST? A OST era a representação de todos os fatos. Fora que as músicas eram lindíssimas . Para finalizar, devo dizer que enquadraria Secret dentro do TOP 5 dos melhores doramas de 2013. Cada segundo vale nitidamente a pena. Eu devorei secret do dia para a noite.O download do drama pode ser feito no Siwon Fansubs.
Espero que vocês que estão visitando o blog e leram o post até o fim comentem e falem um pouco da opinião de vocês a respeito do drama e do post. É super fácil de comentar, vocês podem selecionar o perfil anônimosem nenhum problema. Ah, curtam também a nossa página no facebook (CLIQUE AQUI). Esse é o meu primeiro post do ano e espero do fundo do meu coração que gostem! :))

Posted by Cecília On 15:05 9 comments READ FULL POST

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Aqui vai uma super dica para o primeiro final de semana do ano para vocês: The Tower! The Tower é uma superprodução sul-coreana estrelada por nada mais nada menos que Son Ye Jin. E, mais uma vez, a diva provou que é diva com a sua atuação e presença "de palco" de dar arrepios! Vamos aos comentários?
Sinopse: Na véspera de Natal, na Sky Tower, um complexo de edifícios ultra-luxuosos, uma festa é realizada para lojistas e convidados VIP's. Dae-ho, o gerente do edifício e pai solteiro, é forçado a cancelar os planos com sua filha Hana, para trabalhar no evento. Seu Natal é salvo quando Yoon-hee, o gerente de shopping de alimento,s com uma paixão secreta por Dae-ho, se oferece para tomar conta de Hana durante a festa. A festa está em pleno andamento com a vista espetacular de dois helicópteros sobrevoando apenas para pulverizar neve nos foliões e fazer com que tudo fique perfeito. Quando de repente ocorre um desastre impensável, Dae-ho e Young-ki deve convocar toda a sua força e coragem para salvar as vidas de milhares de pessoas, mas o que isso irá custar para si mesmo e seus entes queridos?


Este filme provou que Hollywood não é o único capaz de fazer superproduções cinematográficas com uma boa qualidade de efeitos especiais. The Tower não ficou devendo em nada a qualquer produção americana. O roteiro não é de fato inovador, porém o diferencial de The Tower são as histórias. Há várias histórias, com diferentes circunstâncias. Algumas bem exploradas, outras não. O que faz com que essas histórias se cruzem? A catástrofe.

The Tower me lembrou, em partes, Titanic, quando traz aquela idéia (errônea) de que nada pode dar errado. Porque as torres são "tão perfeitas" que as pessoas não ligam ou simplesmente não se importam com a segurança. O que elas querem? Ser notícia. Naquela noite, véspera de Natal, os helicópteros não poderiam estar sobrevoando... mas, eles queriam "ser notícia". E bom, acabaram sendo da forma mais catastrófica possível. Entenda-se ser notícia como uma metáfora que relaciona o poder dos grandes empresários em acharem que estão acima de tudo e no controle de tudo. No controle inclusive das circunstâncias ambientais. E mais uma vez, nós vemos os queridos empresários que só pensam em fazer fortuna, tentando salvar aqueles que podem ampliar suas fortunas. Assim como em Titanic, nada de mulheres e crianças primeiro, vamos aos ricos e "cachorros" primeiro. Bom, vocês entenderão ao assistirem o filme.
Nada mais espetacular do que a vocação de um bombeiro. Que profissão, meus caros, que profissão. Todos os bombeiros empenhados em salvar vidas e os empresários dispostos a sacrificar todas a elas em prol do não sacrifício das duas torres, em prol da riqueza. Estes bombeiros arriscaram suas vidas, para salvar, sem distinção de status social, qualquer ser humano que fosse. De fato, uma profissão honrosa, demostrada com mérito neste filme.

A moral da história é que não adianta querer aparentar aos olhos do público um monumento luxuosíssimo, sendo que ele é cheio de algumas falhinhas técnicas, que podem parecer pequenas, mas que comprometeram a segurança e acabou coma  vida de muitas pessoas. O download do filme pode ser feito no Portal SAED. Não deixem de conferir porque vale cada segundo de apreensão. Se você gosta de tensão, este é o filme! 


Espero que vocês que estão visitando o blog e leram o post até o fim comentem e falem um pouco da opinião de vocês a respeito do drama e do post. É super fácil de comentar, vocês podem selecionar o perfil anônimo sem nenhum problema. Ah, curtam também a nossa página no facebook (CLIQUE AQUI). Esse é o meu primeiro post do ano e espero do fundo do meu coração que gostem! :))
Posted by Cecília On 19:56 5 comments READ FULL POST

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

  Primeiramente, gostaria de dizer que este drama foi indicação da minha amiga Lu do Dramas Otaku. Então, logicamente, eu tinha que abrir um espaço todo especial na minha lista lotaaaaaaaaada pra colocar Reply 1997 na frente. Bom, o que é mais surpreendente é eu assistir dois dramas colegiais seguidos o.O  E não, não fui abduzida por alienígenas. Logo eu, que tenho tanto, mas tanto receio de assisti-los. Confesso que à princípio o drama não me chamou muito a atenção. Eu comecei a assistir e não estava gostando muito. MASSSSS, a cada episódio ele foi me ganhando, me ganhando e me ganhando...in the end, I Love it! Então, eu fiz esse post com todo carinho totalmente dedicado a ela.! Lu, esse post é pra você!!!Vamos aos comentários? 


Sinopse: Esse drama vai focar na cultura do fanatismo extremo que emergiu nos anos 90 quando os grupos de idols tomaram conta dos palcos e o  K-pop estava florescendo.A história é formada por 6 amigos colegiais de uma escola em Busan que voltam a se encontrar em 2012 e isso traz de volta as memórias de 1997, quando eles eram ainda estudantes. Voltando naquela época e para agora entre os anos 90 e hoje, a história centra na vida de Sung Shi Won que é fanática pela boyband H.O.T. e seus 5 amigos de escola.

O que mais me chamou a atenção neste drama foi o seu ar nostálgico. De repente, você se vê envolto num drama que nos leva como que numa máquina no tempo aos anos 90. Durante os anos 90 eu era pura e simplesmente uma criança. Mas claro, você se lembra de tudo aquilo que você viveu, das músicas que faziam sucesso, as roupas que usávamos. O legal de Reply 1997 é que ele nos relembra da nossa adolescência independentemente do ano em que a vivenciamos. De todas as descobertas, vícios, revoltas, TUDO! E nos lembra também que com o passar dos anos as coisas mudam: cada um segue seu rumo... muitas vezes perdemos o contato, mas sim, sentimos saudades. Lendo o post que a minha amiga Lu fez, ela fala de uma coisa muito importante e que vale a pena ressaltar: não queiram dar um salto tão grande para o futuro, não queiram antecipar a vida adulta. O mundo dos adultos é muito chato e é muito difícil ter que se tornar um. O colégio sempre será uma ótima época na vida de vocês.  Na vida de nós todos. (claro que a vida escolar também relembra tempos difíceis, hauahauhaua, minha vida escolar não foi fácil). Acredite, faculdade não é nada fácil. Muitas responsabilidades virão, MUITAS! E quando você menos esperar, você estará relembrando com amor "os acontecimentos de 1997"... uma metáfora que nos permite inferir o quanto, mas o quanto dá saudade da escola, dos amigos que fizemos, das loucuras que praticamos, dos ídolos que amamos, etc. E, infelizmente, nunquinha nunquinha poderemos voltar a esses velhos tempos. O primeiro amor ficará pura e simplesmente na memória... aquela lembrança tão magicamente doce e inocente de quem nós éramos. 
Sung Shi-Won: Sem dúvidas, minha personagem predileta. Adorava os surtos dela. Adorava como ela era viciada em H.O.T. De repente nos envolvemos naquela memória de fãs malucas. Quem nunca? Hoje em dia eu sou uma fã maluca? Claramente, mas com moderação. A idade nos leva a "manerar". Shi-Won traz a recordação daquela nossa fase  repleta de exageros. Desde criança eu tive um lado nerd, então eu sempre gostei de Star Wars...passei minha adolescência inteira sendo fã como uma louca e eu me vi muito nela. Hoje eu sou mais calma (risos). Mas Reply 1997 é isso.


O drama nos leva de volta no tempo e puxa do nosso cérebro e dos nossos corações as lembranças mais profundas e encantadoras. Agora falando das atribuições da personagem em si... nossa! Como ela era louca e ao mesmo tempo encantadora. <3' Eu não conhecia a atriz e ela fez com que eu me apaixonasse de cara pelas suas expressões e jeitinho de interpretar. E é muito difícil eu já gostar de cara de alguém. Sempre rola minha implicância básica. E nossa, diante de determinadas personalidades, muitos adolescentes também "berram" bastante para conseguir o que querem, não é verdade?! Com a Shi-Won não foi diferente. A personagem levou um tempinho para amdurecer, para se tornar mulher, para descobrir o amor e descobrir a si mesma. É muito legal perceber o "amadurecimento" das personagens <3' Foi muito bacana acompanhar essa personagem em si. Ela se tornou a minha queridinha do drama.

Yoon Yoon-Je: Para mim, o personagem menos cativantem, interpretado  pelo ator mais sem futuro. Desculpa gente, mas ele tinha a MESMA expressão o tempo todo. Ele feliz, ele triste, ele cansado, ele com sono...sempre a mesma expressão. huahauahaua (sim, sou chata!). Tirando o meu incômodo nítido com o ator, falemos das atribuições da personagem. Quando ele finalmente se percebeu homem, a mulher que ele gostava ainda não estava preparada para receber os seus sentimentos. Então, com medo, e sim, o medo é personagem fundamental na adolescência, ele resolve ocultar os seus sentimentos, abrindo espaço para outro, claro, porque isso sempre acontece. É chato, mas acontece. 
O gostoso de Replay é que o drama nos deixa sempre com uma pontinha de dúvida. Impossível saber com quem ela realmente vai terminar. Mas eu tenho um feeling e sempre sei (risos). A adolescência também é uma fase de escolhas...e é muito, mas muito difícil escolher. Nossos pais às vezes querem que façamos algo específico que eles sonharam para nós quando entramos na faculdade, mas nem sempre isso acontece e acabamos por seguir outros rumos anteriormente nunca previstos. Esse personagem também nos traz essa idéia. E o romance dos dois foi super fofinho. Mals abiam eles que iriam se tornar espelllos dos próprios pais.
Mo Yoo-Jung e Do Hak-Chan: Mais uma vez, me apaixonei pelos personagens secundários. Esse casal foi a coisa mais fofa de Replay 1997. Sempre tem aquela menina toda "para frente" que parece indestemida e forte, mas sempre carrega suas fraquezas e tem seus medos também. Replay traz mais uma forte impressão com ela, nos apresentando personagens, de fato, HUMANOS! Hak-Chan só não era tímido com suas pornografias, mas ele era incrivelmente tímido com mulheres "de verdade", alcançáveis, tocáveis. E claro, ele também possuía medos. Medo de enfrentar os pais, encarar a realidade. Sempre tem as pessoas que são mais passivas e não tem a coragem para "enfrentar". 
Kang Joon-Hee: Personagem que mais me deixou angustiada. A adolescência de fato é um período de descobertas, de aceitação. E com Joon-Hee nós temos mais uma vez a apresentação de outro tema: a sexualidade. A dificuldade de se assumir, de se expor, de revelar seus sentimentos. Ele se sentiu preso diante de um sentimento, engaiolado, sem saída. E a dificuldade que outros tem de aceitar? Isso é o mais difícil de fato. principalmente quando aquelas pessoas que mais presamos não encaram a realidade e não aceitam. Tive vontade de trucidar o  Yoon-Je por conta do que ele fazia o Joon-Hee passar. O pobre coitado só se apaixonava mais e mais. Masss, com a maturidade, vem a percepção do que realmente há pra se perceber...e mais uma porta é aberta. A porta da aceitação e libertação. Muito bacana esse aspecto. E claro, quando o primeiro amor se vai, devemos abrir outra porta no coração... "pode ser a primeira vez ou última vez..".
Bang Sung-Jae: último integrante desse grupo de amigos e não menos importante. Tipicamente bobão, mas um amigo e tanto. Sung-Jae era "pau para toda obra". Era com ele que eu me acabava de rir. Com ele e com aquele bode que realmente dava o ar de sua "berrice" quando literalmente alguma coisa "dava bode" e nossa, como eu ri.


Tae-Woong: Já falei que o legal de Replay é você ir descobrindo aos poucos os acontecimentos? Bom, quem é esta mulher misteriosa da foto?! Melhor vocês descobrirem por si mesmos. Tae-Woong era um personagem diferente. Diferente no sentido de eu não saber de jeito nenhum o que se passava na cabeça dele. Eu achei que ele confundiu alguns sentimentos. Você ser adulto não quer dizer que você detenha 100% de conhecimento de mundo. Não, também erramos e acertamos. Nada é perfeito no nosso mundo. Não somos obrigados a desvendar tudo. Estamos sempre em desenvolvimento e aprendendo mais e mais. Isso vale para todos.
Sung Dong-Il e Lee Il-Hwa: Os pais mais maluquinhos da história dos doramas. Este casal me ganhou. Foi o melhor do drama. Bem bacana como foram apresentando a história dos dois também, porque o sentimento de conhecer um pouco da história de cada um nasce naturalmente. Eles brigavam o tempo todo. Mas sinceramente, dá pra perceber quando o casal é puro amor. <3' Eu simplesmente amei cada segundo de cena com esses dois. Sung Dong-Il representou o típico pai que berra, berra e berra com a filha, reprime e tudo mais ,mas enche de carinho e amor e morre de saudades quando a filha deixa a casa. O amor desse pai era notável a quilômetros de distância. E a relação entre esses dois é o que de fato acontece entre muitos pais e filhas. Há incompreensões e desentendimentos. Mas, às vezes, só nos damos conta disso quando acontece algum acontecimento muito marcante ou quando amadurecemos mais. As cenas deles dois brigando, dele cortando os cabelos dela eram muito bacanas. 
Infelizmente, o post está chegando ao fim. Mas calma, não precisam berrar como a Shi-Won, logo logo tem mais pra vocês. Meus posts estão que nem os da Alayana, cheios de gif, hauahauahauah tô pegando a mania dela. Então, deu para sentir quantos motivos existem para assistir Reply 1997? Lu, valeu a pena amiga. Eu realmente adorei. Reply 1997 é um drama bom, que nos faz sentir esse ar todo nostálgico da nossa adolescência. O download do drama pode ser feito no Ohayo Dramas Fansub.

Espero que vocês que estão visitando o blog e leram o post até o fim comentem e falem um pouco da opinião de vocês a respeito do drama e do post. É super fácil de comentar, vocês podem selecionar o perfil anônimo sem nenhum problema. Ah, curtam também a nossa página no facebook (CLIQUE AQUI). Esse é o meu primeiro post do ano e espero do fundo do meu coração que gostem! :))





Sim, há beijos dignos!

Posted by Cecília On 00:27 10 comments READ FULL POST
  • RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Youtube