domingo, 25 de setembro de 2011

  Mais um filme de minha ilustríssima querida atriz Son Ye Jin. Apesar de não ser um grande filme, conta com grandes interpretações e algumas questões familiares e conjugais que são sempre polêmicas nos países asiáticos. Vamos aos comentários?




  O filme se centra em In Su, um homem que vai à costa leste coreana depois de descobrir que sua mulher sofreu um acidente de carro e está gravemente ferida. Para surpresa do esposo, parece que sua mulher viajava com um homem chamado Ho, também hospitalizado pelo acidente. Enquanto In Su espera notícias do estado de sua mulher,conhece a mulher de Ho, Seo-Young e juntos descobrem provas de que os dois estavam sendo traídos.



  Os primeiros 40 minutos de filme são caracterizados por poucos diálogos, ou a quase inexistência deles, consistindo apenas em uma mistura de sensações que envolvem o espectador no drama das personagens, tornando-o inicialmente bastante cansativo. Depois há diálogos que nos permitem conhecer mais da personalidade dos protagonistas em questão, mas nada muito complexo. No geral, o filme é bem monótono e quase sem falas. Não foi um filme gostoso de assistir. A sensação é de que ele não evolui, não há clímax ou ápice. Após uma breve ''melhorada'' o filme volta a estagnar. 




  Apesar de não ter tido lucro em seu país de origem, o filme foi um sucesso de bilheteria em vários outros países asiáticos, devido principalmente à popularidade internacional do ator principal, Bae Yong-joon (Winter Sonata); o que é completamente entendível já que o filme não possui um grande enredo. E mesmo sendo um sucesso de bilheteria em outros países, não significa que o filme tenha sido bom. Como fã da atriz Son Ye Jin eu apenas me senti na obrigação de assisti-lo. 




  Não há muito o que discorrer a respeito do filme. Acho que há aspectos que poderiam ter sido melhor explorados. Ah, há duas cenas um pouco surpreendentes que eu não estou acostumada a ver em filmes asiáticos, na verdade eu só devo ter visto duas ou três vezes. Mas, não consiste em nada demais diante da  perspectiva brasileira. O download por ser feito no Animes X Games.



Posted by Cecília On 00:43 3 comments READ FULL POST

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

  Hoje eu vou indicar um filme cujo o nome é 'Say Hello For Me', ênfase para o seu nome e significado, pois este eu só cheguei a compreender no final do filme. Esse J-filme é uma boa opção de drama. Como sempre, os japoneses primam pela excelência neste aspecto. Apesar de apresentar uma história muito boa, ele não conseguiu me prender de forma efetiva durante toda sua execução. Vamos aos comentários?




  Sinopse: Quieto, sério, e um pouco nerd, Toyama Satoshi é dono de uma loja de plantas marinhas, onde pode desfrutar de seu amor pela vegetação aquática. Embora não ganhe dinheiro suficiente, Satoshi está determinado a continuar com sua loja e cumprir uma promessa que ele fez para seus dois melhores amigos de anos atrás, com quem perdeu o contato. Um dia, uma bela jovem modelo aparece em sua loja para pedir emprego. Distraído como sempre Satoshi demora a perceber que ela é na verdade sua amiga de infância e primeiro amor, Karin. Embora ele não entenda o que levou Karin a aparecer assim de repente, depois de treze anos, Satoshi está contente de tê-la de volta em sua vida. Qual será o motivo da volta de Karin? Um filme fofo que fala sobre amizade e amor eternos.




  Mais um filme cuja temática principal é a amizade. Desta vez, ela é abordada como algo que pode ser definido com um pequeno texto de Vinícius de Moraes: ''Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos... ''. No geral, o filme mostra o reencontro de três grandes do passado resumido coincidentemente no texto acima. As causas do reencontro e consequências futuras são adversas, se eu as contar, a magia do filme será quebrada. O mais interessante do filme é a construção das cenas e a fusão do passado e presente, sendo que estes estão intimamente relacionados.



  O filme é bem simples mesmo. Eu não gostei muito, mas o irônico é que eu não o achei ruim. Pelo contrário, a mensagem que ele é capaz de nos transmitir é verdadeiramente forte, mas o que me deixa impaciente é a demora com que as coisas acontecem, o fato de existirem diálogos muito ''arrastados'' e cenas desnecessárias. No mais, é legal perceber que existem pessoas nas nossas vidas que vem e que às vezes ficam, outras que passam e ainda há outras que passam mas querem ficar. As famosas doenças raras também estão presentes, mas calma, o final não é triste. O filme em si é muito bonitinho, mas também chega a ser fantasioso. Querem saber por quê?




  Tudo por causa do 'diga olá por mim'. Vocês não tem noção do significado do nome desse filme. Quando eu percebi, vi que não tinha nada a ver. Na verdade, para ser bem sincera, tem sim, até porque o 'fato' ou a 'pessoa' relacionada a isto faz parte do filme, mas não é o principal deste e eu ofereço um prêmio a pessoa que tiver feito essa relação antes do final do filme, porque eu juro que pensei que fosse outra coisa. Isso tudo é o que torna o  fantasioso. Mas não confundamos mais a cabeça daqueles que ainda assistirão ao filme, paremos por aqui. Chega dos meus raciocínios absurdos. 


  
 Antes de encerrar gostaria de dizer que vocês me perdoassem pelas imagens que eu pus do filme, pois não havia muitas opções na internet, na verdade, não havia. E eu tenho muita preguiça de tirar print, mil perdões. Bom, no mais, espero que vocês confiram este filme e tenham gostado do post. Não há muito o que falar em particular dos personagens. As interpretações foram medianas e só, como sempre os personagens secundários me cativam, e desta vez não foi diferente; a garota acima foi única. O download pode ser feito no DK.
Posted by Cecília On 00:49 5 comments READ FULL POST

sábado, 10 de setembro de 2011

  Hoje eu estou aqui para falar do primeiro anime shoujo que eu assisti,junto com a mamis é claro: Itazura na Kiss. Um anime muito cativante, porém irritante e que simplesmente amei. Irritante vocês sabem: pelo fato da Kotoko perseguir o nosso querido Irie do começo ao fim irritantemente, mas, quem conferiu sabe que a intenção do anime era mostrar a metamorfose ambulante que nosso personagem nada carismático sofreu por amor, isso mesmo AMOR! A-M-O-R!


  Ai o amor é lindo...e mais lindo é pensar no Irie e ver o Kim Hyun Joong. Depois de Playful Kiss, quem não imagina? Itazura é apaixonante. É uma das histórias mais fofas que eu já constatei em toda essa minha vida de amante de mangás. Claro que eu não tenho o mangá,afinal ele é idoso e eu só tenho 19 anos. Mas, vi ao anime assiduamente e rezava que não acabasse,mas..acabou! Eu simplesmente adoro essa história e já a guardei em dvd para mostrar aos meus filhos daqui uns anos!


  Tem certas coisas que eu amo nessa história: a arrogância e pretensão do Irie, a miadeira da Kotoko, a mãe dele, o irmão e mini versão, enfim, quase tudo! O personagem mais insignificante e mesmo assim não menos importante é aquela versão não identificável da Kotoko que a persegue incansavelmente. Tenha dó. Enquanto a Kotoko é engraçada,ele é irritante. Mas,fora isso,tudo é constantemente perfeito!


   Confiram agora a minha colheita de informações a respeito dessa história que tem ultrapassado gerações:


  
    Itazura na Kiss é um mangá do gênero shojo não finalizado, de Kaoru Tada. Começou a ser serializado e publicado em 1991.Tornou-se sucesso rapidamente.O mangá virou tão popular que duas séries para televisão foram feitas em 1996 e 2005, com uma sequência drama em 2005, mais tarde 2007. Apesar do seu sucesso, o mangá nunca foi finalizado, devido a morte inesperada da autora, por hemorragia cerebral, em um acidente de casa, depois de bater a cabeça na mesa de mármore da sua casa. Ela estava se mudando para outra casa, com o marido e o filho. No entanto, a série de mangá continuou a ser publicada, com a permissão do marido da falecida artista.


   Um CD da série foi lançado em 2005-2006 e 25 episódios do anime foram ao ar em 2008. Em uma entrevista, o marido da falecida autora, revelou que a intenção do mangá era que o final fosse concebido no anime, pela primeira vez.


   Sinopse: Aihara Kotoko e Irie Naoki estudam no mesmo colégio, porém em classes diferentes. Ela, Kotoko, estuda na classe F a dos ''menos inteligentes'' assim direi. Ele, Naoki, na classe A, a dos mais inteligentes. Kotoko se apaixonou por Naoki quando ele fez um discurso no primeiro ano do ensino médio e segurou essa paixão até o Terceiro ano quando decidiu se declarar. Ela tenta entregar uma carta de amor a Naoki, mas ele recusa. Ele sempre havia recusado os pedidos de todas. No mesmo dia, aconteceu mais uma tragédia: a casa nova que o pai de Kotoko acabou nesse dia era fraca demais e desabou num terremoto de nível dois. Após o incidente, ele avisa a filha que vão se hospedar na casa de um amigo dele enquanto ele arranja um local para morar. Esse amigo era o pai de Naoki.E assim ,com o passar do tempo, Aihara faz de tudo para conquistar o coração de Irie-kun. A série é curta pois a uma passagem muito grande de tempo entre um episódio e outro.Eles começam com 16 e terminam com 30.É uma história muito divertida e romântica que deve ser assistida por todos os amantes de shoujos.



Download:
Posted by Cecília On 00:33 10 comments READ FULL POST

domingo, 4 de setembro de 2011

  Bom, essa é uma daquelas indicações que eu tenho o prazer de fazer. Por que? Está explícito no meu comentário! Eu simplesmente amei. She's on Duty é um filme que não tem uma grande história, mas é recheado com uma pitada de tudo que o povo gosta: drama, comédia, ação e muito mais! Vamos curtir os comentários sobre She's on Duty?




  A Polícia está com dificuldades para condenar o chefe do maior grupo criminoso de Seul, então a solução deles é vigiar a filha de um grande criminoso o segundo mais importante do grupo para poder captura-lo e conseguir a condenação do grande chefe, porem não sabem como, até que Jane indo reclamar sobre sua ultima missão mal sucedida, aparece vestida de estudante, então a brilhante idéia surge: mandar Jane de volta para a escola. Lá. ela tem que fazer amizade com a filha do criminoso, além disso, acaba conhecendo um garoto que chama muito sua atenção, e fica se sentindo muito mal por sentir atração por um simples estudante. A partir de tudo isso, a história se desenrola!




  Primeiro de tudo. Não conhecia nenhum trabalho da Kim Sun-Ah. E fico feliz que essa tenha sido o primeiro contato que eu tive com sua boa interpretação. Ela tem um 'ar' de atriz profissional. Um 'ar' de alguém que sabe o que está fazendo. Eu me diverti muito, muito mesmo com ela. Seu humor é bem diferente.  Já o Gong Yoo nunca me desaponta. Gosto disso nele. Não existem cenas ruins com esse cara. Inclusive as cenas mais românticas nunca são superficialmente feitas. O cara tem o que nós podemos definir como pegada; e além disso, ele sabe como fazer beijos decentes! Esse casal deu muito certo. Eu assisti esse filme primeiro que minha mãe, e depois assisti novamente com ela. Graças a Deus ela gostou! Fazia séculos que ela não reclamava de um filme. Falando nisso, vamos ao filme!




  Esse filme me lembrou muito Windstruck, que é um dos meus prediletos. O fato de ele ser composto por cenas de ação muito bem elaboradas e não ser totalmente fundamentando nesse aspecto, tendo cenas de comédia, histórias paralelas e outros, o tornou bastante completo. Os personagens secundários são excelentes. Eles marcam. Outra coisa que eu adorei é que a personagem principal não sustenta sozinha o filme, os secundários não deixam a nada a desejar e só acrescentam fatos e cenas interessantes. O tio dela é um ótimo exemplo. Além disso, as próprias vilãs, que na verdade não são vilãs, são apenas contra-tempos, foram muito bem utilizadas de forma que não se tornasse chato e muito menos cansativo. O filme é marcado pelo dinamismo. Vocês tem noção do quanto eu amei essa produção?




  Uma coisa que eu gosto bastante são as caras e bocas das atrizes coreanas. Eu chamo isso de versatilidade. essas são as caras que eu tento imitar e tenho vontade de fazer no meu dia-a-dia. Mas, de uma forma bem light, nossa personagem principal conseguiu transmitir todas as suas emoções. Adoro essas mulheres duronas, cheias de si. Identifico-me muito com elas. Geralmente elas passam por um golpe muito forte para serem como são. Mas, é isso que as torna fortes. É uma forma de mal necessário. Nossa querida Kim soube interpretar divinamente bem a personagem, tanto que não consigo imaginar outra pessoa fazendo.




  Talvez o fato de como o nosso querido Gong Yoo entrou na história não tenha ficado devidamente esclarecido, mas eu achei que ficou implícito. Mas, acredito que não houve uma preocupação na hora de esclarecer este fato, sendo desta forma proposital. Pelo menos foi a sensação que eu tive. Se este filme teve erros, foram muito pequenos. Eu sou muito cri cri com certos detalhes que me deixam pirada mesmo. Então eu acredito que pelo fato da dinâmica do filme, eu não tenha me prendido a eles.




 Vocês podem fazer o download no DK.
Posted by Cecília On 12:10 7 comments READ FULL POST
  • RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Linkedin
  • Youtube